segunda-feira, 13 de abril de 2009

E para quem ainda não assistiu "As Cores de Frida"...


O espetáculo retorna aos palcos de São Luís, inicialmente com uma apresentação no dia 1 de maio (feriadão do trabalhador) fazendo parte da programação da IV Semana Maranhense de Dança, no Teatro João do Vale. Estamos tentando colocar o espetáculo numa breve temporada no mês de maio. Mas é melhor garantir sua entrada, que será inteiramente franca com retiradas de ingressos na bilheteria do Local com 2 horas de antecedência, não esqueça que o Teatro João do Vale possui uma capacidade bem menor de público, apenas 400 pessoas poderão assistir o espetáculo. O Núcleo Atmosfera de Dança-Teatro terá participações em outros espaços da programação da IV Semana Maranhense de Dança.


domingo, 12 de abril de 2009

Experimento Improvisacional: “Tecendo os Sonhos da Moça”

alunos do curso em momento de descontração


“Debaixo da pele, a lua” é o título de um dos contos de Marina Colasanti, é também o nome do espetáculo que está em processo criativo no curso de dança contemporânea do Teatro Arthur Azevedo. A montagem fará releituras da literatura da autora e a composição coreográfica terá os mesmos nomes de seus contos, dirigida por Leônidas Portella e assistência de Neusa de Paula e Marina Corrêa, com previsão de estréia no Teatro Arthur Azevedo em Outubro de 2009.

“A Moça Tecelã” é a primeira proposta coreográfica onde os alunos criam partituras coreográficas a partir de constantes diálogos e visões sobre o conto, uma junção entre diferentes possibilidades de movimentos. O corpo imagina e conta (sem recursos verbais) a história da moça que tece seus desejos num tapete de sonhos.

Para alcançar a criação das partituras, os alunos foram envolvidos por etapas criativas com jogos criativos e “Experimentos Improvisacionais”, assim como propõe o Núcleo Atmosfera de Dança-Teatro na concepção de seus trabalhos.

O vídeo abaixo é o resultado do Experimento Improvisacional: “Tecendo os sonhos da Moça”, para melhor entendê-lo, leia sua descrição em seguida.

Partitura 1: Tecendo Contatos, a equipe consegue elaborar uma partitura coreográfica onde um corpo necessita do outro para tecer uma estória, assim como o teatro precisa da moça e também da lã. A moça dando vida aos objetos que são capazes de respirar, olhar, sentir e agir.

Partitura 2: A moça em gestos simples dotados de sentimento, parece entremear nas próprias mãos o destino, ela é acima de tudo mulher. Tece o desconhecido.

Partitura 3: A moça tece a si mesma, os olhos, o ventre, tudo o que ela deseja, os braços, a pele.

Partitura 4: A moça tece o homem, o marido, a necessidade de um companheiro para não se sentir tão sozinha. O marido é altivo, em seu cérebro criado pensa em grandezas que só serão alcançadas por ela, ou seja, o marido quer submetê-la aos seus desejos. A moça consegue obedecer, mas insatisfeita com a própria criação, desfaz o marido para tentar ser feliz.

O segundo passo desta etapa foi ordenar todas as partituras em uma única coreografia. O vídeo abaixo mostra o resultado, a coreografia ainda em processo, ganhando formas, sendo definida aos poucos.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

"Escarlate" - Intervenção do Núcleo Atmosfera de Dança-Teatro.


A partir de releituras de “As Mulheres de Shakespeare” (espetáculo montado em 2006 pelo Núcleo Atmosfera de Dança-Teatro), propõe-se o desnudamento psicológico das personagem: Ofélia (Hamlet – William Shakespeare) onde a dramaturgia corporal feminina é representada numa estética moderna e crítica.

Escarlate ou vermelho é a cor e tema predominante nas cenas devido à sua forte presença no universo feminino; no parto, no ciclo menstrual, na sensualidade, na vaidade, na vida e até mesmo na morte.

Em “Escarlate”, o ator-dançarino rompe a utilização de espaços cênicos convencionais, onde o cenário cotidiano é seu principal objeto de estudo. O corpo contemporâneo dança no espaço e no tempo denunciando a intervenção da arte em contextos e situações sociais. Repetições de gestos e ações cotidianas resultam em harmoniosas transformações dialogando entre espaço, corpo e objeto.


Elenco: Geraldine Gauthier, Neusa de Paula, Marina Corrêa, Rosa Ewerton, Leônidas Portella

Direção: Leônidas Portella

Estréia: Na IV Semana Maranhense de Dança

Local: Museu Histório e Artístico do Maranhão (Rua do Sol, Centro)

Duração: 30 minutos