terça-feira, 10 de agosto de 2010

Diário de Bordo - "As Cores de Frida" - Porto Velho - RO

A expectativa para cada estado da nossa circulação é sempre diferente, assim como cada um deles, com suas características próprias, suas diversidades culturais, culinárias e jeito de ser. Assim como, também, nossas apresentações, muita energia, muita ansiedade e muita, muita alegria de estar nesse projeto, representando nosso estado maravilhoso e o Atmosfera que se tornou essa família linda. Obrigada, Porto Velho pela recepção, obrigada Atmosfera pela oportunidade e obrigada acima de tudo a DEUS. Marinildes Brito – em estado de êxtase.


Levarei para todos os espetáculos a experiência de Porto Velho, teatro semi arena, o público dentro do espetáculo, assistindo de todos os ângulos. Senti com toda a verdade que há dentro de mim todas as cenas, o tempo inteiro com lágrimas nos olhos, simplesmente lindo. Sem falar na recepção da Cris e da Luh, super atenciosas e dedicadas. Que venham mais viagens!!!!! Neusa de Paula


Nós fomos bem recepcionados, nossas anjas foram ótimas, devo confessar que sou péssima de memoria e não estou recordando os seus nomes agora. O espetáculo foi ótimo e estávamos com as energias a flor da pele, o público acabou contribuindo para isso, eles estavam muito próximos, fazendo com que sentíssemos um pouco das suas sensações. Saí de lá muito feliz com o que vivenciei e aprendi, apesar de alguns contratempos Porto Velho em suma foi ótimo. CLEYCE COLINS


Uma experiência única, assim como em cada estado que passei, emoção a flor de pele, quero levar aquele sentimento pra todas as outra apresentações, com tantas dificuldades o grupo se mostrou capaz de superar tudo e dançar Frida com todo amor e entusiasmo de mostrar nossa verdade, sei que nós fizemos nosso melhor e fomos reconhecidos por isso. Adorei, em Porto Velho senti minha verdade muito mais forte.....Valéria.


Cansaço, descanso, maravilhas, novidades que o trabalho enquanto artistas nos proporcionam. Passar em Rondônia foi bastante gratificante, delicioso, em suma. Uma ótima recepção e atenção. Muitas expectativas, tanto nossas quanto do público. O diálogo e a superação são palavras que nos acompanharam em Rondônia. Gilberto Martins


O estado de Rondônia nos recebeu de portas abertas, assim como nos outros estados o clima foi uma barreira a ser superada, a massa de ar seca não impediu que nossos corpos estivessem em total sintonia ao entrar em cena; a necessidade de uma adaptação para um palco de semi arena, revelava o quando dançar Frida requer força e intensidade, entretanto com tanta energia em cena e devido a algumas mudanças o espetáculo tornou-se arriscado; forte, intenso e ao mesmo tempo arriscado. Em meio a esse universo mágico o público contracenava junto ao intérpretes, não desviavam o olhar permanecendo-se ansiosos e com imensa expectativa do que estava sendo apresentado. Hoje nossos corpos tremiam, não de medo, tremiam de emoção. -Luís Ferreira.


Em Rondônia, nos deparamos com o nosso “famoso” e esperado “teórico”. Aquele que sabe tudo sobre Arte. Em dois tempos, foi desmontado por nossos argumentos que se apresentaram bem consistentes, fazendo valer nossos encontros muitas vezes sacrificantes dos domingos para estudarmos a vida e obra de Frida, bem como aguçarmos nossas percepções a respeito do espetáculo. O staf do Sesc se esforçou para nos receber bem, mas as condições não foram as melhores. Muitas improvisações no que diz respeito à técnica, o que, em geral, vem ocorrendo em quase todos os lugares onde passamos até agora. Esperamos que isto melhore, talvez, nas próximas viagens. (Rosa Ewerton Jara)


Rondônia, em que pesem as condições técnicas precárias, o formato do teatro (arena) proporcionou uma experiência impar, colocando o elenco muito próximo do espectador fazendo com que a troca de energia durante o espetáculo fosse um combustível a mais na excelente apresentação realizada. (Francisco Jara)


Da frustração que se apresentou pela precariedade técnica do lugar à apresentação enérgica que fizemos no palco do Sesc-RO, um misto de sensações. Como sempre, fomos imensamente desafiados, pelo clima, pelos recursos, pelo espaço, pelas pessoas. Desafios vencidos pelo imenso desejo de estarmos ali, de fazermos o melhor. Estávamos e fizemos. Nunca antes estivemos tão próximos do público, tudo o que fazíamos era perceptível. Aliás, o público não só percebeu, mas sentiu. O retorno foi maravilhoso....e as sensações, incríveis! Thatielle Abreu



Segunda parada: Porto Velho. Do frio imenso para o calor intenso. Já um pouco cansados. Alguns conflitos estabelecidos. Afinal, convivência em grupo  é um eterno aprender. Ainda bem! As afinidades se organizando. Pequenas doses de intolerância aqui e acolá. Já não estávamos no mesmo compasso. O jeito é dançar no contratempo...
A apresentação, o que realmente importa, nosso trabalho, foi, outra vez, um sucesso! Cansaços e incertezas convertidos em megabites de energia e a explosão em cena! Nem o linóleo branco nem a precariedade da estrutura se sobrepujaram ao desejo dos artistas de fazermos o melhor espetáculo. Para tal fim  viemos. Tudo o mais é pequenez e mesquinharias que nem valem a pena ser tomadas em conta. O debate foi maravilhoso! Uma plateia muito interessada e informada. E, claro, lá estava “ele”, cheio de empáfia. Desata vez, a própria plateia nos ajudou a derrubar seus inconsistentes argumentos.
Vale ainda ressaltar, em Porto Velho, a dedicação dos “anjos” que nos receberam e nos guiaram. Obrigada, em nome do Núcleo Atmosfera.
Antes de aterrissar em Manaus, abro aqui parêntesis para registrar meu profundo desagrado às conexões e escalas absurdas a que fomos submetidos. As razões? Possivelmente econômicas. Há que se pensar, um pouco mais, no desconforto (para dizer o mínimo), que é passar perto de dez(!) horas esperando em um aeroporto! Como não chegar exaurido e mau-humorado ao próximo destino? Um pouco mais de atenção, eu pediria, ao artista, que é um trabalhador que necessita absolutamente de seu corpo integral funcionando para o desempenho de sua função. Fecha parêntesis. Rosa Ewerton Jara

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Diário de Bordo - "As Cores de Frida" - Cuiabá MT



“Todo  artista tem de ir aonde o povo está...”

Seguindo a premissa da música de Milton, lá fomos nós. No aeroporto de São Luis, ainda fresquinhos, ansiosos, com um mundo de coisas a se descortinar à nossa frente. Alguns, marinheiros de primeira viagem, outros, velhos lobos-do-mar. A ansiedade, a mesma.

Chegamos ao nosso primeiro destino: Cuiabá. Cidade com vocação para grande, com uma gente boa nos recebendo, tratamento de primeira. Um SESC muito bem estruturado com um belo teatro, centro de artesanato e muitas coisas acontecendo.
Todos andando em bando, no mesmo compasso, um grupo, conflitos ainda não deflagrados. Natural, para o primeiro dia. O espetáculo foi muito bom. Ansiedade transmutada em energia pura! Haveria que se manter o nível nas apresentações posteriores. O debate, ao final, manteve-se num bom nível, também. Ali, se mostrando a importância de nossos encontros domingueiros para o aprofundamento nos estudos da vida e obra de Frida Kahlo, dança-teatro e assuntos afins. Nosso “famoso” teórico lá estava. O tão esperado. Aquele que iria tentar nos derrubar tantas vezes. Mas, não: estávamos preparados! Rosa Ewerton Jara



Dia 03/08/2010, 14h, aeroporto de São Luís. Chegando aos poucos, os integrantes do Núcleo Atmosfera de Dança-Teatro reuniram-se para o início de uma nova fase, é a primeira circulação do núcleo. Iríamos embarcar em um vôo da Tam, com destino a Cuiabá-MT, primeira cidade das cinco em que apresentaremos, fazendo uma escala em São Paulo. Um oportunidade única (mas primeira, de muitas... com a graça de Deus). Despedidas e mais despedidas, mães, pais, namorados e namoradas, todos apostando.......................... Gisa


Viagem de avião, primeira vez, tensão no início, mas só no início, depois foi muito bom... adoro viajar, adoro dançar, e dançar e viajar junto é melhor ainda. Grupo muito unido, junto, atmosféricos, louca de ansiedade para apresentar. Escala em Sampa, delícia... Cuibá friozinho gostoso, 15 graus, hotel bacana e muito trabalho. Mari, amando muito tudo isso.


Estar em outra cidade fazendo o que amamos é muito bom, nesse frio, nesse conforto é muito legal. Frida hoje evidenciou-se de forma satisfatória. Plateia não muito cheia no entanto atenciosa e apaixonada assim como nós por essa mulher. Gilberto no clima de Frida!


Esse é um momento de muita reflexão pra mim, passo o tempo inteiro observando tudo e agradecendo por essa maravilha de turnê com uma turma muito, muito, muito divertida e unida. O clima da cidade está delicioso, bem friozinho... Hoje consegui colorir o espetáculo com as minhas cores, tive novas sensações e a iluminação influenciou muito. Só mais duas coisinhas: Frida Kahla, Frida Kahla!!!! Baguncinha, baguncinha!!!! Piada interna... I like I gosto! Neusa de Paula.


Esta viagem está sendo incrível, a realização de muitos anseios, sonhos que nasceram despretensiosamente, mas que foram sonhados com muita intensidade. INTENSIDADE, esta é a palvara que define este momento, que define Frida Kahlo, que define o Núcleo Atmosfera, que define minhas emoções nestes últimos dias. Adorando o friozinho de Cuiabá, tão intenso, rsrs. Thatica!


Coragem, determinação, ousadia, liberdade; são palavras que compõe a realização do intenso sonho do Atmosfera. Hoje ao imenso frio de Mato Grosso, Frida inaltece seu tom e aquece a cidade com suas cores quentes e vivas. "Viva la vida,Vida Frida", Luís Ferreira.


As Cores de Frida em Cuiabá: tudo está apenas começando. Que o astral deste primeiro dia guie a
circulação desse espetáculo até o fim. Frida nos abençôe! Marina Corrêa.


É com muita alegria, emoção e inúmeras sensações que estou no momento! Estar realizando parte do sonhos do Atmosfera é muito importante pra mim.... E Cuiabá está sendo maravilhoso. Hoje estreamos com uma das melhores apresentações e que seja assim até o fim! Tô amaaaannnnnndoooo, friiiiiiiiiiiooo que não acaba! Mas ta maravilhoso, enfim.... com uma galera escândalo, que é muito importante, d +... só na base do baguncinha! kkk o forte de Cuiabá! Valda Lino(Ladie Styles) kkkkkkkkkkk